Quinta-feira, Julho 18, 2024

Eleições Europeias 2024 no Concelho de Belmonte: PS ganha em todas as Freguesias, resultados do distrito e nacionais

As eleições europeias de 2024 apresentaram resultados expressivos e diversificados ao longo do território português. Este artigo analisa especificamente os resultados no concelho de Belmonte, abrangendo suas freguesias, e compara esses resultados com os do distrito de Castelo Branco e com o panorama nacional.

Concelho de Belmonte

No concelho de Belmonte, o Partido Socialista (PS) obteve uma vitória clara, dominando todas as freguesias analisadas. Os resultados refletem um apoio robusto ao PS, que superou os demais partidos com margens consideráveis. A elevada taxa de abstenção, no entanto, é um ponto de preocupação que merece atenção.

Freguesias de Belmonte

  1. Belmonte:
  • PS: 44,55%
  • PPD/PSD.CDS-PP.PPM: 24,60%
  • CH: 10,00%
  • IL: 5,90%
  • Abstenção: 60,41% A liderança do PS em Belmonte com quase metade dos votos válidos destaca uma forte preferência dos eleitores pela agenda socialista. A coligação de centro-direita PPD/PSD.CDS-PP.PPM ficou em segundo, mas com uma diferença significativa. A alta abstenção sugere uma possível desconexão ou desinteresse dos eleitores locais no processo eleitoral.
  1. Caria:
  • PS: 43,13%
  • PPD/PSD.CDS-PP.PPM: 23,42%
  • CH: 11,95%
  • IL: 5,82%
  • Abstenção: 64,40% Em Caria, o PS também dominou, embora a abstenção tenha sido a mais alta entre as freguesias analisadas. Isso pode indicar um descontentamento ou apatia política que precisa ser investigado para entender melhor as motivações dos eleitores.
  1. Inguias:
  • PS: 43,16%
  • PPD/PSD.CDS-PP.PPM: 28,21%
  • CH: 13,25%
  • BE: 3,85%
  • IL: 3,85%
  • Abstenção: 61,39% Os resultados em Inguias mostram uma preferência similar pelo PS, com uma presença notável do CHEGA como terceira força política. A abstenção novamente ultrapassou os 60%, apontando para um padrão preocupante de baixa participação eleitoral.
  1. Maçainhas:
  • PS: 48,65%
  • PPD/PSD.CDS-PP.PPM: 20,95%
  • L: 7,43%
  • CH: 4,73%
  • Abstenção: 48,79% Maçainhas destacou-se com o PS obtendo quase metade dos votos válidos, o maior percentual entre as freguesias analisadas. A coligação PPD/PSD.CDS-PP.PPM teve uma participação significativamente menor. A menor taxa de abstenção em comparação com outras freguesias sugere um maior engajamento dos eleitores.
  1. União das Freguesias de Belmonte e Colmeal da Torre:
  • PS: 45,00%
  • PPD/PSD.CDS-PP.PPM: 24,92%
  • CH: 9,09%
  • IL: 6,74%
  • Abstenção: 59,11% Na união das freguesias, o PS manteve sua liderança com 45% dos votos, seguido pela coligação PPD/PSD.CDS-PP.PPM. A presença de partidos como o CHEGA e a IL demonstra uma diversificação das preferências eleitorais. A abstenção, embora alta, foi ligeiramente menor que em Caria e Inguias.

Distrito de Castelo Branco

Comparando com o concelho de Belmonte, o PS também liderou no distrito de Castelo Branco com 37,94% dos votos. A coligação PPD/PSD.CDS-PP.PPM seguiu com 29,26%, e o CHEGA (CH) obteve 10,58%. A abstenção foi de 51,51%, inferior à média nacional, mas ainda significativa.

Estes resultados indicam um apoio forte ao PS, porém não tão dominante como no concelho de Belmonte. A presença de uma oposição robusta e a diversidade de partidos como o CHEGA e a IL refletem um cenário político dinâmico no distrito.

Resultados Nacionais

A nível nacional, o PS obteve 32,19% dos votos, enquanto a coligação PPD/PSD.CDS-PP.PPM alcançou 31,17%. Esses resultados demonstram uma disputa acirrada entre os dois maiores blocos políticos do país. O CHEGA e a IL, embora com percentagens menores, mostraram um crescimento significativo, refletindo uma mudança no panorama político nacional.

A abstenção nacional foi de 57,74%, refletindo uma tendência geral de baixa participação eleitoral que se repetiu nas localidades analisadas.

Análise Política

Performance do PS

O Partido Socialista demonstrou uma força consistente tanto em Belmonte quanto no distrito de Castelo Branco, superando suas médias nacionais. Este desempenho superior pode ser atribuído a políticas locais eficazes, uma boa estrutura partidária na região, ou uma maior identificação dos eleitores dessas áreas com os valores e propostas do PS.

Desafios da Abstenção

A elevada taxa de abstenção é um desafio significativo que precisa ser abordado. Em algumas freguesias de Belmonte, a abstenção superou os 60%, sugerindo uma desconexão entre os eleitores e o processo eleitoral. Estratégias para aumentar a participação, como campanhas de conscientização e facilitação do voto, poderiam ser implementadas para combater essa tendência.

Diversidade Política

Embora o PS e a coligação PPD/PSD.CDS-PP.PPM dominem os resultados, a presença de partidos como o CHEGA, Iniciativa Liberal e o Livre indicam uma diversificação das preferências políticas. Esta diversificação sugere uma paisagem política em evolução, onde novas forças ganham terreno e desafiam as dinâmicas tradicionais. Este fenômeno pode ser visto como uma resposta à insatisfação com os partidos tradicionais e uma busca por alternativas que melhor representem os interesses dos eleitores.

Os resultados das eleições europeias de 2024 destacam uma clara preferência pelo PS no concelho de Belmonte e no distrito de Castelo Branco, com desempenhos superiores à média nacional. No entanto, a elevada taxa de abstenção é um problema crítico, refletindo uma necessidade urgente de reengajar os eleitores no processo democrático.

A diversificação das preferências políticas indica uma paisagem política em mudança, com a emergência de novos partidos desafiando o status quo. Esta mudança requer atenção e análise contínua para entender as motivações dos eleitores e as implicações para futuras eleições. Em resumo, as eleições europeias de 2024 no concelho de Belmonte e no distrito de Castelo Branco mostram um domínio claro do PS, mas também destacam a necessidade de abordar a apatia eleitoral e entender a diversificação política em curso.

Novos Deputados Eleitos

Dos 21 deputados portugueses eleitos, há uma diversidade de perfis, incluindo jovens, antigos ministros, presidentes de câmaras e ex-líderes parlamentares, mas a maioria estreia-se no Parlamento Europeu.

Partido Socialista (PS)

  • Marta Temido: 50 anos, natural de Coimbra, ex-ministra da Saúde.
  • Francisco Assis: 59 anos, natural de Amarante, ex-presidente da Câmara Municipal de Amarante e ex-eurodeputado.
  • Ana Catarina Mendes: 51 anos, natural de Lisboa, ex-Ministra Adjunta e dos Assuntos Parlamentares.
  • Bruno Gonçalves: 27 anos, natural de Braga, ex-líder da Juventude Socialista.
  • André Rodrigues: 47 anos, deputado na Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores.
  • Carla Tavares: 53 anos, presidente da Câmara Municipal da Amadora.
  • Isilda Gomes: 73 anos, presidente da Câmara Municipal de Portimão.
  • Sérgio Gonçalves: 45 anos, deputado do PS na Assembleia Legislativa da Madeira.

Aliança Democrática (PSD/CDS-PP/PPM)

  • Sebastião Bugalho: 28 anos, ex-comentador televisivo e colunista.
  • Ana Miguel Pedro: 35 anos, vogal da Comissão Política Nacional do CDS-PP.
  • Paulo Cunha: 53 anos, ex-presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão.
  • Helder Sousa Silva: 59 anos, presidente da Câmara Municipal de Mafra.
  • Lídia Pereira: 31 anos, vice-presidente do grupo parlamentar do Partido Popular Europeu (PPE).
  • Sérgio Humberto: 48 anos, presidente da Câmara Municipal da Trofa.
  • Paulo Nascimento Cabral: 51 anos, conselheiro dos Açores e Energia na REPER.

Chega

  • António Tânger Corrêa: 72 anos, ex-diplomata.
  • Tiago Moreira de Sá: 53 anos, professor e investigador.

Iniciativa Liberal (IL)

  • João Cotrim de Figueiredo: 62 anos, ex-deputado na Assembleia da República.
  • Ana Martins: natural dos Açores, especializada em Ciência Política.

Bloco de Esquerda (BE)

  • Catarina Martins: 50 anos, ex-coordenadora nacional do Bloco de Esquerda.

CDU

  • João Oliveira: 44 anos, ex-deputado e ex-líder parlamentar do PCP.

Esta diversidade de representantes, com variados backgrounds e experiências, promete trazer novas perspectivas e abordagens ao Parlamento Europeu.

- pub -

Eleições Europeias 2024 no Concelho de Belmonte: PS ganha em todas as Freguesias, resultados do distrito e nacionais

As eleições europeias de 2024 apresentaram resultados expressivos e diversificados ao longo do território português. Este artigo analisa especificamente os resultados no concelho de Belmonte, abrangendo suas freguesias, e compara esses resultados com os do distrito de Castelo Branco e com o panorama nacional.

Concelho de Belmonte

No concelho de Belmonte, o Partido Socialista (PS) obteve uma vitória clara, dominando todas as freguesias analisadas. Os resultados refletem um apoio robusto ao PS, que superou os demais partidos com margens consideráveis. A elevada taxa de abstenção, no entanto, é um ponto de preocupação que merece atenção.

Freguesias de Belmonte

  1. Belmonte:
  • PS: 44,55%
  • PPD/PSD.CDS-PP.PPM: 24,60%
  • CH: 10,00%
  • IL: 5,90%
  • Abstenção: 60,41% A liderança do PS em Belmonte com quase metade dos votos válidos destaca uma forte preferência dos eleitores pela agenda socialista. A coligação de centro-direita PPD/PSD.CDS-PP.PPM ficou em segundo, mas com uma diferença significativa. A alta abstenção sugere uma possível desconexão ou desinteresse dos eleitores locais no processo eleitoral.
  1. Caria:
  • PS: 43,13%
  • PPD/PSD.CDS-PP.PPM: 23,42%
  • CH: 11,95%
  • IL: 5,82%
  • Abstenção: 64,40% Em Caria, o PS também dominou, embora a abstenção tenha sido a mais alta entre as freguesias analisadas. Isso pode indicar um descontentamento ou apatia política que precisa ser investigado para entender melhor as motivações dos eleitores.
  1. Inguias:
  • PS: 43,16%
  • PPD/PSD.CDS-PP.PPM: 28,21%
  • CH: 13,25%
  • BE: 3,85%
  • IL: 3,85%
  • Abstenção: 61,39% Os resultados em Inguias mostram uma preferência similar pelo PS, com uma presença notável do CHEGA como terceira força política. A abstenção novamente ultrapassou os 60%, apontando para um padrão preocupante de baixa participação eleitoral.
  1. Maçainhas:
  • PS: 48,65%
  • PPD/PSD.CDS-PP.PPM: 20,95%
  • L: 7,43%
  • CH: 4,73%
  • Abstenção: 48,79% Maçainhas destacou-se com o PS obtendo quase metade dos votos válidos, o maior percentual entre as freguesias analisadas. A coligação PPD/PSD.CDS-PP.PPM teve uma participação significativamente menor. A menor taxa de abstenção em comparação com outras freguesias sugere um maior engajamento dos eleitores.
  1. União das Freguesias de Belmonte e Colmeal da Torre:
  • PS: 45,00%
  • PPD/PSD.CDS-PP.PPM: 24,92%
  • CH: 9,09%
  • IL: 6,74%
  • Abstenção: 59,11% Na união das freguesias, o PS manteve sua liderança com 45% dos votos, seguido pela coligação PPD/PSD.CDS-PP.PPM. A presença de partidos como o CHEGA e a IL demonstra uma diversificação das preferências eleitorais. A abstenção, embora alta, foi ligeiramente menor que em Caria e Inguias.

Distrito de Castelo Branco

Comparando com o concelho de Belmonte, o PS também liderou no distrito de Castelo Branco com 37,94% dos votos. A coligação PPD/PSD.CDS-PP.PPM seguiu com 29,26%, e o CHEGA (CH) obteve 10,58%. A abstenção foi de 51,51%, inferior à média nacional, mas ainda significativa.

Estes resultados indicam um apoio forte ao PS, porém não tão dominante como no concelho de Belmonte. A presença de uma oposição robusta e a diversidade de partidos como o CHEGA e a IL refletem um cenário político dinâmico no distrito.

Resultados Nacionais

A nível nacional, o PS obteve 32,19% dos votos, enquanto a coligação PPD/PSD.CDS-PP.PPM alcançou 31,17%. Esses resultados demonstram uma disputa acirrada entre os dois maiores blocos políticos do país. O CHEGA e a IL, embora com percentagens menores, mostraram um crescimento significativo, refletindo uma mudança no panorama político nacional.

A abstenção nacional foi de 57,74%, refletindo uma tendência geral de baixa participação eleitoral que se repetiu nas localidades analisadas.

Análise Política

Performance do PS

O Partido Socialista demonstrou uma força consistente tanto em Belmonte quanto no distrito de Castelo Branco, superando suas médias nacionais. Este desempenho superior pode ser atribuído a políticas locais eficazes, uma boa estrutura partidária na região, ou uma maior identificação dos eleitores dessas áreas com os valores e propostas do PS.

Desafios da Abstenção

A elevada taxa de abstenção é um desafio significativo que precisa ser abordado. Em algumas freguesias de Belmonte, a abstenção superou os 60%, sugerindo uma desconexão entre os eleitores e o processo eleitoral. Estratégias para aumentar a participação, como campanhas de conscientização e facilitação do voto, poderiam ser implementadas para combater essa tendência.

Diversidade Política

Embora o PS e a coligação PPD/PSD.CDS-PP.PPM dominem os resultados, a presença de partidos como o CHEGA, Iniciativa Liberal e o Livre indicam uma diversificação das preferências políticas. Esta diversificação sugere uma paisagem política em evolução, onde novas forças ganham terreno e desafiam as dinâmicas tradicionais. Este fenômeno pode ser visto como uma resposta à insatisfação com os partidos tradicionais e uma busca por alternativas que melhor representem os interesses dos eleitores.

Os resultados das eleições europeias de 2024 destacam uma clara preferência pelo PS no concelho de Belmonte e no distrito de Castelo Branco, com desempenhos superiores à média nacional. No entanto, a elevada taxa de abstenção é um problema crítico, refletindo uma necessidade urgente de reengajar os eleitores no processo democrático.

A diversificação das preferências políticas indica uma paisagem política em mudança, com a emergência de novos partidos desafiando o status quo. Esta mudança requer atenção e análise contínua para entender as motivações dos eleitores e as implicações para futuras eleições. Em resumo, as eleições europeias de 2024 no concelho de Belmonte e no distrito de Castelo Branco mostram um domínio claro do PS, mas também destacam a necessidade de abordar a apatia eleitoral e entender a diversificação política em curso.

Novos Deputados Eleitos

Dos 21 deputados portugueses eleitos, há uma diversidade de perfis, incluindo jovens, antigos ministros, presidentes de câmaras e ex-líderes parlamentares, mas a maioria estreia-se no Parlamento Europeu.

Partido Socialista (PS)

  • Marta Temido: 50 anos, natural de Coimbra, ex-ministra da Saúde.
  • Francisco Assis: 59 anos, natural de Amarante, ex-presidente da Câmara Municipal de Amarante e ex-eurodeputado.
  • Ana Catarina Mendes: 51 anos, natural de Lisboa, ex-Ministra Adjunta e dos Assuntos Parlamentares.
  • Bruno Gonçalves: 27 anos, natural de Braga, ex-líder da Juventude Socialista.
  • André Rodrigues: 47 anos, deputado na Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores.
  • Carla Tavares: 53 anos, presidente da Câmara Municipal da Amadora.
  • Isilda Gomes: 73 anos, presidente da Câmara Municipal de Portimão.
  • Sérgio Gonçalves: 45 anos, deputado do PS na Assembleia Legislativa da Madeira.

Aliança Democrática (PSD/CDS-PP/PPM)

  • Sebastião Bugalho: 28 anos, ex-comentador televisivo e colunista.
  • Ana Miguel Pedro: 35 anos, vogal da Comissão Política Nacional do CDS-PP.
  • Paulo Cunha: 53 anos, ex-presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão.
  • Helder Sousa Silva: 59 anos, presidente da Câmara Municipal de Mafra.
  • Lídia Pereira: 31 anos, vice-presidente do grupo parlamentar do Partido Popular Europeu (PPE).
  • Sérgio Humberto: 48 anos, presidente da Câmara Municipal da Trofa.
  • Paulo Nascimento Cabral: 51 anos, conselheiro dos Açores e Energia na REPER.

Chega

  • António Tânger Corrêa: 72 anos, ex-diplomata.
  • Tiago Moreira de Sá: 53 anos, professor e investigador.

Iniciativa Liberal (IL)

  • João Cotrim de Figueiredo: 62 anos, ex-deputado na Assembleia da República.
  • Ana Martins: natural dos Açores, especializada em Ciência Política.

Bloco de Esquerda (BE)

  • Catarina Martins: 50 anos, ex-coordenadora nacional do Bloco de Esquerda.

CDU

  • João Oliveira: 44 anos, ex-deputado e ex-líder parlamentar do PCP.

Esta diversidade de representantes, com variados backgrounds e experiências, promete trazer novas perspectivas e abordagens ao Parlamento Europeu.

- pub -

MAIS PARA SI

- pub -