Quinta-feira, Julho 18, 2024

JF de Caria Enfrenta Desafios com a Gestão das Piscinas, A. M. agendada em horários que os munícipes não podem participar

Em comunicado datado de 24 de junho de 2024, a Junta de Freguesia de Caria expressou a sua insatisfação e preocupação relativamente à gestão e abertura das piscinas locais, criticando duramente a atuação da Câmara Municipal de Belmonte (CMB). Este comunicado surge na sequência de uma série de eventos que culminaram com a ameaça de não abertura das piscinas, um ponto crítico para a comunidade local.

O documento destaca que a Junta de Freguesia tem enfrentado dificuldades em manter um diálogo construtivo com a CMB, atribuindo estas dificuldades a divergências políticas. A Junta acusa a Câmara de uma postura discriminatória, afirmando que a falta de apoio da CMB se deve ao facto de a Junta de Freguesia e a Câmara não serem da mesma cor política, o que resultou em prejuízos para Caria em várias frentes. Esta situação é considerada pela Junta como uma forma de política “pouco limpa”, onde os fins justificam os meios, independentemente das consequências para a população local.

A abertura das piscinas de Caria, prevista para coincidir com a época balnear, está envolta em problemas devido à falta de manutenção adequada e recursos. O comunicado detalha os esforços realizados pela Junta para cumprir com todas as exigências para a abertura das piscinas. Entre as ações realizadas, destacam-se:

  • Corte de relva e sebes: Múltiplas intervenções para garantir a limpeza e apresentação das áreas verdes.
  • Contratação de funcionários: Recrutamento de três funcionários para bilheteira e gestão de qualidade da água, através do programa “Inserção + do IEFP”.
  • Manutenção e reparações: Troca da areia dos filtros, que não era substituída há 27 anos, e outras reparações essenciais para o funcionamento adequado das piscinas.

Apesar destes esforços, a Junta sublinha que a CMB não deu respostas concretas sobre o término das obras necessárias, deixando a abertura das piscinas em risco.

No dia 20 de junho, surgiu uma placa com a ameaça de não abertura das piscinas, atribuída pela Junta de Freguesia à CMB. Este evento foi seguido por um anúncio público através da comunicação social, onde se afirmou que a CMB pretendia terminar a concessão de exploração das piscinas de Caria. A Junta repudiou esta decisão, alegando que não existe fundamento para o término do protocolo, e criticou a forma como a comunicação foi conduzida pela CMB.

A Junta de Freguesia reforça que, até à data, não houve qualquer incumprimento por parte da Junta relativamente ao protocolo estabelecido com a CMB. Este anúncio, segundo a Junta, não é mais do que uma tentativa clara de ataques políticos, utilizando informações de redes sociais e cartazes anónimos para justificar a decisão.

Conforme relatado pelo Jornal Correio de Caria, a Câmara de Belmonte decidiu retirar a gestão das piscinas de Caria da responsabilidade da Junta de Freguesia. O assunto foi apresentado na sessão de Câmara desta quinta-feira passada, (da qual a rádio caria não recebeu qualquer informação), onde o presidente incluiu na Ordem do Dia um ponto específico sobre o Protocolo de Competências das Piscinas Municipais de Caria. Durante esta sessão, foi aprovado por unanimidade que a gestão das piscinas reverteria para a Câmara Municipal, com a intenção de realizar as obras necessárias e reabrir a piscina no dia 1 de julho.

Na reunião pública da autarquia, o presidente da Câmara Municipal de Belmonte, António Dias Rocha, não escondeu a sua indignação com a situação das piscinas de Caria.

“É inqualificável, é inadmissível e impraticável”, afirmou, detalhando que tudo estava a ser feito, incluindo obras de manutenção orçadas em cerca de 30 mil euros, para garantir a segurança e manutenção do espaço.

O autarca sublinhou que se trata de um espaço municipal e que, face a esta atitude, “nada obriga a manter o protocolo que vigorava”. A autarquia passará a gerir o espaço, garantindo que “estão reunidas as condições para o fazer”.

Dias Rocha acrescentou que, naquele mesmo dia, 20 de junho, seria pedida a chave do espaço à Junta de Freguesia, num ofício cujo teor foi aprovado por unanimidade na reunião do executivo. No ofício, sublinha-se que têm sido feitas obras tanto na piscina de Belmonte como na de Caria, destacando que a publicação do aviso “demonstra falta de sentido institucional da Junta de Freguesia de Caria” e que “não estão reunidas as condições de boa-fé para manter o protocolo”.

Carlos Afonso, vereador da CDU, salientou que “esta é uma medida radical que não tomaria”, mas que “se é a solução encontrada para abrir o espaço”, deu o seu voto favorável.

José Mariano, vereador do PSD, lamentou a situação, apontando que se a autarquia “tem condições” deve abrir o espaço.

Na reunião, foi explicado que tanto na Piscina Municipal de Belmonte como na de Caria, as despesas com manutenção, nadadores salvadores, limpeza e jardinagem sempre foram da responsabilidade da Câmara Municipal.

Paulo Borralhinho, vice-presidente da autarquia, avançou que, para gerir o bar, será convidada a União Desportiva Cariense, associação que faz a sua exploração há vários anos.

Uma placa verde, colocada no dia 19 de junho, indicava que as piscinas não reuniam condições para abertura devido à falta de investimento e manutenção da CMB. Embora a placa não estivesse assinada, o presidente da Câmara atribuiu a sua autoria à Junta de Freguesia de Caria. Dias Rocha, presidente da Câmara, afirmou que a Câmara iria realizar as obras necessárias e que nada obrigava a manter o protocolo com a Junta de Freguesia.

O presidente da Junta de Freguesia de Caria, em resposta ao Correio de Caria, não assumiu a autoria da placa, mas destacou a importância de resolver as questões de manutenção prometidas pela Câmara. Ele mencionou que a areia de filtragem, que não é substituída há 30 anos, é uma das principais preocupações, juntamente com as queixas de problemas de pele causados pela qualidade da água.

No site oficial da Câmara Municipal de Belmonte, foi anunciado que as Piscinas Municipais de Belmonte reabrirão no dia 29 de junho de 2024, um sábado, para a época balnear 2024. As piscinas irão funcionar todos os dias das 10h00 às 20h00, com a entrada geral a 2,50€. Para crianças dos 7 aos 17 anos, o bilhete diário será de 1,50€, enquanto que para crianças até aos 6 anos será gratuito. Os portadores de cartão jovem e cartão social terão um desconto de 20% na entrada, e todos os dias a partir das 18h, os bilhetes terão um custo de 1€. Os bilhetes poderão ser adquiridos na bilheteira da piscina.

Este episódio revela a complexidade e as tensões existentes entre diferentes níveis de governo local e destaca a importância de uma gestão transparente e colaborativa para o benefício das comunidades. O desenvolvimento desta situação na próxima Assembleia Municipal, que ocorrerá no Edifício da Câmara Municipal pelas 10 horas, será crucial para determinar os próximos passos e possíveis resoluções para a questão das piscinas de Caria.

Além disso, a situação das piscinas de Caria é um reflexo de um problema mais amplo de governança local, onde as rivalidades políticas muitas vezes prejudicam o desenvolvimento e o bem-estar das comunidades. É essencial que haja um compromisso real e sincero de todas as partes envolvidas para resolver estas questões de forma justa e eficiente, colocando sempre em primeiro lugar os interesses da população.

A próxima sexta-feira será, sem dúvida, um dia decisivo para a freguesia de Caria. A expectativa da população é alta, e os representantes políticos terão a oportunidade de mostrar se realmente estão ao serviço da comunidade ou se continuarão a ser influenciados por jogos políticos. A união e a transparência serão fundamentais para superar este impasse e garantir que as piscinas de Caria possam abrir e servir a comunidade como sempre foi esperado.

Localmente existe um apelo a todos os cidadãos da “Freguesia de Caria para que participem ativamente nesta Assembleia Municipal. A presença de cada membro da comunidade é vital para demonstrar a importância desta questão e assegurar que as vozes de Caria sejam ouvidas. Compareçam no Edifício da Câmara Municipal pelas 10 horas e façam valer os vossos direitos e interesses pela nossa freguesia”, como se lê nas redes sociais.

- pub -

JF de Caria Enfrenta Desafios com a Gestão das Piscinas, A. M. agendada em horários que os munícipes não podem participar

Em comunicado datado de 24 de junho de 2024, a Junta de Freguesia de Caria expressou a sua insatisfação e preocupação relativamente à gestão e abertura das piscinas locais, criticando duramente a atuação da Câmara Municipal de Belmonte (CMB). Este comunicado surge na sequência de uma série de eventos que culminaram com a ameaça de não abertura das piscinas, um ponto crítico para a comunidade local.

O documento destaca que a Junta de Freguesia tem enfrentado dificuldades em manter um diálogo construtivo com a CMB, atribuindo estas dificuldades a divergências políticas. A Junta acusa a Câmara de uma postura discriminatória, afirmando que a falta de apoio da CMB se deve ao facto de a Junta de Freguesia e a Câmara não serem da mesma cor política, o que resultou em prejuízos para Caria em várias frentes. Esta situação é considerada pela Junta como uma forma de política “pouco limpa”, onde os fins justificam os meios, independentemente das consequências para a população local.

A abertura das piscinas de Caria, prevista para coincidir com a época balnear, está envolta em problemas devido à falta de manutenção adequada e recursos. O comunicado detalha os esforços realizados pela Junta para cumprir com todas as exigências para a abertura das piscinas. Entre as ações realizadas, destacam-se:

  • Corte de relva e sebes: Múltiplas intervenções para garantir a limpeza e apresentação das áreas verdes.
  • Contratação de funcionários: Recrutamento de três funcionários para bilheteira e gestão de qualidade da água, através do programa “Inserção + do IEFP”.
  • Manutenção e reparações: Troca da areia dos filtros, que não era substituída há 27 anos, e outras reparações essenciais para o funcionamento adequado das piscinas.

Apesar destes esforços, a Junta sublinha que a CMB não deu respostas concretas sobre o término das obras necessárias, deixando a abertura das piscinas em risco.

No dia 20 de junho, surgiu uma placa com a ameaça de não abertura das piscinas, atribuída pela Junta de Freguesia à CMB. Este evento foi seguido por um anúncio público através da comunicação social, onde se afirmou que a CMB pretendia terminar a concessão de exploração das piscinas de Caria. A Junta repudiou esta decisão, alegando que não existe fundamento para o término do protocolo, e criticou a forma como a comunicação foi conduzida pela CMB.

A Junta de Freguesia reforça que, até à data, não houve qualquer incumprimento por parte da Junta relativamente ao protocolo estabelecido com a CMB. Este anúncio, segundo a Junta, não é mais do que uma tentativa clara de ataques políticos, utilizando informações de redes sociais e cartazes anónimos para justificar a decisão.

Conforme relatado pelo Jornal Correio de Caria, a Câmara de Belmonte decidiu retirar a gestão das piscinas de Caria da responsabilidade da Junta de Freguesia. O assunto foi apresentado na sessão de Câmara desta quinta-feira passada, (da qual a rádio caria não recebeu qualquer informação), onde o presidente incluiu na Ordem do Dia um ponto específico sobre o Protocolo de Competências das Piscinas Municipais de Caria. Durante esta sessão, foi aprovado por unanimidade que a gestão das piscinas reverteria para a Câmara Municipal, com a intenção de realizar as obras necessárias e reabrir a piscina no dia 1 de julho.

Na reunião pública da autarquia, o presidente da Câmara Municipal de Belmonte, António Dias Rocha, não escondeu a sua indignação com a situação das piscinas de Caria.

“É inqualificável, é inadmissível e impraticável”, afirmou, detalhando que tudo estava a ser feito, incluindo obras de manutenção orçadas em cerca de 30 mil euros, para garantir a segurança e manutenção do espaço.

O autarca sublinhou que se trata de um espaço municipal e que, face a esta atitude, “nada obriga a manter o protocolo que vigorava”. A autarquia passará a gerir o espaço, garantindo que “estão reunidas as condições para o fazer”.

Dias Rocha acrescentou que, naquele mesmo dia, 20 de junho, seria pedida a chave do espaço à Junta de Freguesia, num ofício cujo teor foi aprovado por unanimidade na reunião do executivo. No ofício, sublinha-se que têm sido feitas obras tanto na piscina de Belmonte como na de Caria, destacando que a publicação do aviso “demonstra falta de sentido institucional da Junta de Freguesia de Caria” e que “não estão reunidas as condições de boa-fé para manter o protocolo”.

Carlos Afonso, vereador da CDU, salientou que “esta é uma medida radical que não tomaria”, mas que “se é a solução encontrada para abrir o espaço”, deu o seu voto favorável.

José Mariano, vereador do PSD, lamentou a situação, apontando que se a autarquia “tem condições” deve abrir o espaço.

Na reunião, foi explicado que tanto na Piscina Municipal de Belmonte como na de Caria, as despesas com manutenção, nadadores salvadores, limpeza e jardinagem sempre foram da responsabilidade da Câmara Municipal.

Paulo Borralhinho, vice-presidente da autarquia, avançou que, para gerir o bar, será convidada a União Desportiva Cariense, associação que faz a sua exploração há vários anos.

Uma placa verde, colocada no dia 19 de junho, indicava que as piscinas não reuniam condições para abertura devido à falta de investimento e manutenção da CMB. Embora a placa não estivesse assinada, o presidente da Câmara atribuiu a sua autoria à Junta de Freguesia de Caria. Dias Rocha, presidente da Câmara, afirmou que a Câmara iria realizar as obras necessárias e que nada obrigava a manter o protocolo com a Junta de Freguesia.

O presidente da Junta de Freguesia de Caria, em resposta ao Correio de Caria, não assumiu a autoria da placa, mas destacou a importância de resolver as questões de manutenção prometidas pela Câmara. Ele mencionou que a areia de filtragem, que não é substituída há 30 anos, é uma das principais preocupações, juntamente com as queixas de problemas de pele causados pela qualidade da água.

No site oficial da Câmara Municipal de Belmonte, foi anunciado que as Piscinas Municipais de Belmonte reabrirão no dia 29 de junho de 2024, um sábado, para a época balnear 2024. As piscinas irão funcionar todos os dias das 10h00 às 20h00, com a entrada geral a 2,50€. Para crianças dos 7 aos 17 anos, o bilhete diário será de 1,50€, enquanto que para crianças até aos 6 anos será gratuito. Os portadores de cartão jovem e cartão social terão um desconto de 20% na entrada, e todos os dias a partir das 18h, os bilhetes terão um custo de 1€. Os bilhetes poderão ser adquiridos na bilheteira da piscina.

Este episódio revela a complexidade e as tensões existentes entre diferentes níveis de governo local e destaca a importância de uma gestão transparente e colaborativa para o benefício das comunidades. O desenvolvimento desta situação na próxima Assembleia Municipal, que ocorrerá no Edifício da Câmara Municipal pelas 10 horas, será crucial para determinar os próximos passos e possíveis resoluções para a questão das piscinas de Caria.

Além disso, a situação das piscinas de Caria é um reflexo de um problema mais amplo de governança local, onde as rivalidades políticas muitas vezes prejudicam o desenvolvimento e o bem-estar das comunidades. É essencial que haja um compromisso real e sincero de todas as partes envolvidas para resolver estas questões de forma justa e eficiente, colocando sempre em primeiro lugar os interesses da população.

A próxima sexta-feira será, sem dúvida, um dia decisivo para a freguesia de Caria. A expectativa da população é alta, e os representantes políticos terão a oportunidade de mostrar se realmente estão ao serviço da comunidade ou se continuarão a ser influenciados por jogos políticos. A união e a transparência serão fundamentais para superar este impasse e garantir que as piscinas de Caria possam abrir e servir a comunidade como sempre foi esperado.

Localmente existe um apelo a todos os cidadãos da “Freguesia de Caria para que participem ativamente nesta Assembleia Municipal. A presença de cada membro da comunidade é vital para demonstrar a importância desta questão e assegurar que as vozes de Caria sejam ouvidas. Compareçam no Edifício da Câmara Municipal pelas 10 horas e façam valer os vossos direitos e interesses pela nossa freguesia”, como se lê nas redes sociais.

- pub -

MAIS PARA SI

- pub -